O pão nosso de cada dia! Sobre “pãodemias”, fermentos e motoboys.

Virou moda, agora, todo mundo fazer pão. É um tal de trocar receita, fazer live, montar blog, postar foto em rede social…Tem até gente que já virou “bread influencer”, de tanto que demonstra entender das massas, dos amassos, dos assamentos, dos tempos das fermentações e sabe-se lá mais o quê que faça parte da arteContinuar lendo “O pão nosso de cada dia! Sobre “pãodemias”, fermentos e motoboys.”

Gastropolítica: comer, lutar, resistir e viver.

O termo gastropolítica – usado para designar as dimensões políticas e socioculturais do ato de comer –, não é tão novo assim. Foi cunhado, em 1981, pelo antropólogo indiano Arjun Appadurai – conhecido por seus estudos sobre as dimensões culturais da globalização – em um estudo sobre o papel da comida na organização social noContinuar lendo “Gastropolítica: comer, lutar, resistir e viver.”

O preço dos alimentos continua a subir

Foi publicado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo- 15 (IPCA-15) de Abril 2020. Produzido pelo Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor – SNIPC o índice mede a inflação dos preços ao consumidor com base na variação dos preços praticados nas principais regiões metropolitanasContinuar lendo “O preço dos alimentos continua a subir”

GOSTO, IDEOLOGIA E CONSUMO ALIMENTAR: PRÁTICAS E MUDANÇAS DISCURSIVAS SOBRE PLANTAS ALIMENTÍCIAS NÃO CONVENCIONAIS – PANC

A pesquisa explora o fenômeno da intensa midiatização das chamadas Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) no cenário da gastronomia brasileira contemporânea, visando apontar e discutir movimentos de mudança nas práticas discursivas relacionadas à produção e consumo desses vegetais. Para tanto, elegeu um corpus constituído por um conjunto amplo e diversificado de textos midiáticos de diferentesContinuar lendo “GOSTO, IDEOLOGIA E CONSUMO ALIMENTAR: PRÁTICAS E MUDANÇAS DISCURSIVAS SOBRE PLANTAS ALIMENTÍCIAS NÃO CONVENCIONAIS – PANC”

A sociologia da culinária brasileira de uma perspectiva materialista

Carlos Alberto Dória é uma das principais referências nos estudos da Culinária Brasileira, em sua perspectiva inovadora, tem contribuído em desmistificar dogmas e discursos arraigados em interpretações equivocadas sobre a alimentação e na construção de uma Sociologia da Culinária Brasileira, capaz de interpretar os sentidos da transformação material do alimento. O autor publicou livros comoContinuar lendo “A sociologia da culinária brasileira de uma perspectiva materialista”

Em busca da ordem do caos: a lógica do capital na determinação do que é bom para comer

Andrea Santos Baca, membro da RedePAC, e Gloria Idalia Baca Lobera publicaram em 2018 na Revista Geografares um artigo sobre como o capital tem operado na determinação daquilo que é bom para comer. Partindo de uma análise marxista, as autoras utilizaram os conceitos do fetichismo da mercadoria e da lógica do lucro, revelando como oContinuar lendo “Em busca da ordem do caos: a lógica do capital na determinação do que é bom para comer”

Food Porn: imagens, sentidos sociais e virtualização do prazer de comer

Antônio Hélio Junqueira, membro da RedePAC, publicou em 2019 na Revista Discursos Fotográficos, um artigo sobre o fenômeno do Food Porn, no qual investiga as relações dos impactos e sentidos sociais da midiatização do prazer do comer. O autor é Engenheiro Agrônomo e doutor em Ciências da Comunicação, ambos pela Universidade de São Paulo, temContinuar lendo “Food Porn: imagens, sentidos sociais e virtualização do prazer de comer”

A crise econômica e sanitária pode reforçar o consumo de alimentos ultraprocessados.

As transformações dos hábitos alimentares no Brasil não é algo novo e tem se intensificado desde o final do século XX. Como demonstra a Avaliação Nutricional da Disponibilidade Domiciliar de Alimentos no Brasil, realizada pelo IBGE, a partir dos dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018, houve um incremento da participação dos ultraprocessados e aContinuar lendo “A crise econômica e sanitária pode reforçar o consumo de alimentos ultraprocessados.”

Manifesto da RedePAC ao Povo Brasileiro sobre a alimentação em meio ao Covid-19

Com o avanço da pandemia no Brasil, o isolamento social tem sido a forma mais eficaz para o controle da contaminação do COVID-19 e, consigo, trouxe incertezas sobre a garantia do funcionamento do sistema alimentar, na produção, no abastecimento, na comercialização e no consumo. De acordo com a pesquisa realizada com 1.142 entrevistados de 262Continuar lendo “Manifesto da RedePAC ao Povo Brasileiro sobre a alimentação em meio ao Covid-19”